Os Amigos do meu Marido

Os Amigos do Meu Marido
Os Amigos do meu Marido
4 votos

Sempre tive um baita tesão pelos amigos do meu marido. Uns caras tão gostosos, sacanas e bem interessantes. Tinha um deles, o Marcelo, que era bem interessado em mim também. Vivia com papo furado e desculpa para me ligar ou falar comigo. Um dia precisei ir entregar um documento em seu apartamento. Fiquei super excitada já no caminho. Aquele cara era bem disputado por mulheres, daqueles que traem, pisam na bola, mas o charme e seu pau fazem com que não fique nunca sem mulher correndo atrás. Quando cheguei e ele abriu a porta, vi que estava super cheiroso e tinha acabado de tomar banho, estava com a toalha enrolada na cintura com seu peito musculoso de fora. Fiquei super molhada imediatamente. Achei que ia dar na cara o quanto estava excitada, pois os bicos de meus seios ficaram duros, aparecendo na minha blusa branca e justa.

Vi que ele não tirava o olho dos meus peitos, fiquei sem graça e comecei a me arrepender de ter ido lá, não ia prestar. E se ele contasse para o meu marido? “Isso só dependia do quanto eu faria um bom serviço”. Como desculpa de usar o computador fomos direto para seu escritório. Ligou o computador, mas sem se vestir, não aguentava mais aquele homem nu ao meu lado, vi que seu pau estava ficando grande por baixo daquela toalha felpuda. Me mostrou alguns trabalhos no computador e sem querer esbarrou em mim, acabando por me encoxar sobre o computador. Não aguentei, me virei e agarrei aquele homem que estava com um pau enorme me chamando. Me beijou com tanto gosto que parecia que queria me engolir. Segurei suas mãos que procuravam avidamente por minha buceta. Desci, agarrei seu pau e enfiei inteiro em minha boca. Nunca engoli um pau tão grande e delicioso quanto aquele.

Ele me pegou e arrancou minha calcinha por baixo do vestido. Enfiou sua mão entre minhas pernas ao mesmo tempo que sugava meus seios. Foi inesquecível. Acho que ele me comeu umas 4 vezes. Fiquei de quatro, gemendo e implorando para ser enrrabada várias vezes. Ele ficava louco e me dava umas palmadas e só fazia com que eu ficasse cada vez mais molhada e com tesão. Foi um dia inesquecível, nunca falamos sobre o assunto e nunca contou para meu marido. Foi a partir daí que comecei a usar várias estratégias para encontrar colegas do escritório de meu marido e também aqueles primos que sempre vi e desejei.

Teve o Carlos, seu primo roqueiro, maluco, tatuado, com cavanhaque e muito gostoso. Um dia foi em casa para me ajudar com o carro que tinha furado o pneu. Esperei ele já com um fio dental e uma lingerie bem sexy por baixo do vestido. Quando ele chegou vi que tinha acabado de voltar da academia e estava exausto. Vi minha chance. Pedi para entrar e tomar uma água, foi que ele pediu uma cerveja. Tomei com ele e ficamos conversando, nos olhando e nos comendo com os olhos. Ele pediu para tocar uma música no violão. Tocou minha música favorita. Aquele cara era demais, eu precisava sentir seu cheiro, seu gosto e também seu pau me rasgando. 

Comecei a tirar os sapatos e depois a roupa, ele não parou de tocar. Me comia com os olhos. Eu estava super molhada, minha xana ardia de tesão, chegando a doer. Fiquei deitada de frente para ele, abri minhas pernas e ele viu como eu estava gostosa e apetitosa. Minha buceta estava raspadinha, pelada e bem cheirosa. Comecei a me masturbar.Molhei meu dedo na boca e comecei a me acariciar. Meus lábios estavam enormes, eu estava enlouquecida por aquele cara. Enfiei dois dedos inteiros na buceta e aí ele parou de tocar o violão. Ficou observando e tirando sua calça. Vi o quanto seu pau era enorme e grosso. Me masturbei tanto que gozei sozinha só com ele olhando.

Nesse momento ele já tava muito excitado. Enfiou seu pau na minha boca e me ajoelhou no chão, me chamando de todos os nomes possíveis, de puta pra baixo. Chupei aquele pau com muito gosto, ele ia até minha garganta. Ele ficou maluco, me colocou de quatro e enfiou seu pau em minha buceta, sem dó, me rasgando inteira, era muito grande. Eu fui ao delírio, que sensação gostosa. Logo começou a enfiar seu dedo em meu rabo também, adorei. Nesse momento tocou a campanhia, entramos em pânico. Rapidamente me vesti e fui atender, enquanto ele ia ao banheiro. Era minha amiga da aula de yoga. Uma gata, sempre tive vontade de transar com ela. Ela me perguntou se estava ocupada, disse-lhe que não, assim ela entrou.

Carlos saiu da suíte e veio nos encontrar, quando a Bianca viu ele, ficou sem graça, percebeu na hora o que estávamos fazendo. Se cumprimentaram e fomos tomar outra cerveja. A Bianca não estava acostumada a beber, ficou embriagada rapidinho. Eu e o Carlos continuávamos morrendo de tesão. Começamos a nos beijar e ela só olhando, pedi para ela não contar nada a ninguém e ela falou que só se pudesse participar. Rimos e começamos a nos acariciar, os três juntos. A Bianca estava super nervosa, era bem nova, devia ter uns 19 anos e com certeza nunca tinha feito um sexo a três. Fiquei fazendo carinho no seu peito e chupando-o bem devagarinho, ele foram ficando bem durinhos, uma gracinha. Enquanto isso, o Carlos estava chupando minha buceta e ao mesmo tempo beijando a Bianca. Nessa altura eu morria de tesão. Os dois eram muito gostosos e excitantes. Ela se soltou e começou a me chupar também, disse-me que nunca tinha chupado uma buceta. Fiquei me sentindo sua “professora”, dizia para ela: “chupa aqui”, “bate ali”… ela ficou louca, me pediu para enfiar os dedos em seu rabo. Enfiei um só, ele era tão apertadinho, mas o Carlos veio enfiou junto comigo sua rola enorme. Ela gritou e pediu mais. Pensei: “que puta”. Ficamos assim um tempão, eu com os dedos em sua buceta enquanto a beijava e chupava seus peitos e o Carlos enfiando sem dó sua pica no seu cuzinho.

Que delícia, essa menina foi ao delírio, gozou diversas vezes e quando ela não aguentava mais ser comida, falamos para ela: “só olha agora”. O Carlos estava já com seu pau duro a um tempão e parecia que cada vez ficava maior. Me fez chupar seu pau de novo, que cheirava a buceta da Bianca (eu adorei) e em seguida me colocou em pé e agarrou no meu cabelo, enfiando o seu pau inteiro. Acreditem, a Bianca mesmo desfalecida disse que queria mais. Rimos alto. Então ele falou que era, minha vez. Aquele homem me fez de gato e sapato, me comeu de todas as maneiras. Foi maravilhoso. Nunca mais encontrei com ele, somente a Bianca encontro nas aulas. Às vezes saímos para tomar um café, mas somente isso.

~ ~ ~

Conto escrito por Lili safada.

Curtiu? Então comente, deixe a autora do texto feliz.

Share Button
Os Amigos do meu Marido
4 votos