Um Presente Inesperado

Um Presente Inesperado

Estava em casa em um fim de semana prolongado com meu esposo quando recebi o que parecia um presente: uma caixa enviada para meu nome. Fiquei surpresa com a dedicatória que dizia: “para relembrar nossa juventude de muito prazer”. Abri a caixa ansiosa para ver o que continha e ao então vi algumas fotos antigas, peças de lingeries e cada um com recados provocantes. Ficava realmente excitada com cada bilhete que lia, finalmente me recordei de uma amiga que tive quando mais jovem, era ruiva linda, olhos claros, seios fartos firmes, boca carnuda e rosada, coxas e bumbum grande com cintura fina.

Claro que relembrei das noitadas no quarto da faculdade quando saíamos para festas e bebíamos até ficar desnorteadas, voltávamos e fazíamos sexo resto da noite. Deliciosas chupadas com gosto de cerveja e a maravilha do sabor do corpo da minha amiga de quatro. Era maravilhosa sua boca quente em minhas partes íntimas. Muitos gemidos e delírios de prazer.Continuar leitura

Brincando com Geraldo

brincando-com-geraldo

brincando-com-geraldo

 

Sou casado há 30 anos com uma mulher maravilhosa. Nós nos damos muito bem na cama.

Geraldo era um amigo muito próximo nosso, mesmo antes de nos casarmos e não nos livrávamos dele por nada.

Um dia ele me convidou para vermos revistas eróticas na casa dele e claro que não neguei. Ficamos de pau duro e ele propôs de pegarmos um no pau do outro e trocarmos punheta. Topei e pela primeira vez pegava num pau que não fosse meu. A sensação foi gostosa, bati para ele e vice-versa, até gozarmos. Depois desse dia, sempre brincávamos um com o outro até que conheci a mulher com quem sou casado e Geraldo também começou a namorar, casou e se mudou para uma cidade vizinha.

Continuar leitura

Fim de Semana com Neide

neide

Meu nome é Vera, sou morena, bonita, 1.63cm de altura, e peso 57kg. Dizem que sou muito gostosa também, pois tenho um bumbum arrebitado e seios médios, de mamilos rosados e pontiagudos. Coxas grossas e bem torneadas. Sempre ouço muitos gracejos na rua quando estou sozinha, uns eu até gosto, os vulgares eu finjo que não ouço.

Fui convidada para passar o domingo na casa da Neide, minha amiga dos bons momentos na faculdade, onde éramos amigas confidentes. Cúmplices, chegamos a ter uma transa. Já fazia algum tempo que não nos víamos, pois depois que casamos, passamos a morar longe uma da outra. Eu estava louca de tesão por ela. Peguei o carro e fui para sua casa que fica em Alvorada do Sul, cidade a 70 km de Londrina, à beira de uma linda represa. Fui sozinha, pois o maridão tinha um trabalho para fazer no fim de semana. Azar o dele. Lá chegando, ela me recebeu com um beijinho na boca de leve. Demos um abraço saudoso e logo levei minha minhas coisas para o quarto de visitas, que ficava ao lado da Suíte deles. Ficamos um pouco na cozinha ajudando o Claudio, marido dela, a preparar o almoço e depois descemos para a piscina que ficava na parte de baixo da casa. Deitamos para tomar sol e logo o Claudio desceu dizendo que iria no mercadinho comprar umas coisas que faltaram para o almoço.

Continuar leitura

Valéria em Ubatuba

Valéria em Ubatuba

Olá, meu nome é Marcos e o da minha esposa é Regiane. Somos um casal normal, transamos umas três vezes por semana. Certo dia estávamos combinando uma viagem para o litoral de Ubatuba. Como não temos filhos, resolvemos convidar um casal de amigos nossos, mas infelizmente, ou felizmente, somente a esposa do André, Valéria pode ir com a gente. Ele só iria no final de semana. Valéria e uma mulher muito recatada, mas tem um corpo muito bonito. Minha esposa também tem um corpinho muito bonito para sua idade, 38 anos.

Meu apartamento só tem um quarto, mas é muito grande. Tem duas camas de casal e duas de solteiro. Não tivemos opção a não ser dormir os três no mesmo quarto. Sou louco por sexo e naquela noite senti uma vontade enorme de dar uma trepadinha, mas minha esposa me alertou que a Valéria estaria no quarto junto. Eu disse para fazermos bem baixinho, então ela aceitou.

Continuar leitura

Eu, minha Esposa e seu Macho

Eu, minha esposa e seu macho

Tenho dezoito anos de casado. Minha vida sexual estava em uma rotina que dava dó. Era uma por semana e olha lá. Então comecei a fantasiar minha esposa com outro. Sim, ela chupa um pau que é uma maravilha, e isso foi um combustível pra nós. No começo era imaginação. E foi indo até que eu consegui convencê-la de chupar um amigo do trabalho dela em uma festa de final de ano. Foi o máximo. Então comecei a fantasiar em vê-la chupando um macho na minha frente.

Fiz inscrição em um site de swing e achei um macho. Conversei com ele e ele aceitou. Muito educado e discreto. Coloquei ele pra conversar com minha esposa e assim foi feito. Conversaram muito. Resolvemos marcar para um encontro. Comemos uma pizza e então fomos para um drive-in, onde minha esposa matou a minha vontade. Beijou o macho na minha frente, chupou e sentou no seu pau e, para finalizar, deixou que ele gozasse na sua boca. Como combinado, ela me deu aquele beijo com toda a porra do macho. Confesso que me deu um tesão danado de chupar o pau dele.

Continuar leitura

A Namorada do meu Amigo

Namorada do meu amigo

Feriadão eu viajei para minha casa de praia, onde tenho alguns amigos. Inclusive um deles que foi muito apaixonado por mim durante um tempinho. Esse mesmo amigo, quando soube que eu estava por lá, me convidou para sair. Só que eu tinha um pouco de receio dele, sempre fugi, mas como não tinha nada para fazer nesse feriado, aceitei.

Cheguei com um vestidinho preto, coladinho e um decote “nada” chamativo. Ele baixou o vidro do carro e ficou rindo. Quando entrei no carro, me deparo com uma morena, alta, cabelos longos, sorriso lindo.

Essa é minha ex, atual e futura namorada — ele apresentou a moça e eu me senti mais à vontade.

Continuar leitura

Mirian, chupei meu amigo

Chupei meu Amigo

Chupei meu amigo

Casei cedo, com 22 anos. Minha mulher tinha 20 e já casou grávida. Mesmo assim sempre tivemos uma vida sexual ativa e cheia de inovações. Lembro-me da primeira vez que ela chupou meu cu: gozei sem me tocar. Que delicia. Ela, então, percebendo meu enorme tesão foi se aperfeiçoando em me proporcionar prazer anal. Começou a colocar dedos e então velas. Não sei bem por que, mas depois da vela nossa relação foi esfriando. Depois tivemos mais um filho e seguimos nossa vida. Sempre tive vontade de vê-la chupando uma buceta, mas ela nunca aceitou, apesar insistência. Nossa vida sexual continuava morna até que um dia perguntei a ela o que mais dava tesão nela de assistir num filme porno, ela pediu para que eu não achasse esquisito, mas ela adorava ver dois homens se beijando e se chupando. E de queima roupa me soltou:

— Não minta, por favor. Você já chupou um pinto? — fiquei até sem fala. Pensei comigo: ih, agora o que eu digo?, conto a verdade ou minto? Decidi contar a verdade, pois minha vida sexual já estava uma porcaria mesmo.

Continuar leitura