A Ninfeta e o Dentista

A Ninfeta e o Dentista

Este já era o quinto mês que Juliana vinha ao meu consultório dentário após as aulas para apertar seu aparelho. Juliana era alta e tinha os cabelos longos, negros e lisos, era uma morena linda! Novinha, mas com os peitos mais lindos que já tinha visto: durinhos e empinados, bem fartos e sempre bem exibidos por baixo de sua blusa escolar de botão. Como eu sei que eram fartos? Isso é fácil… Todas as vezes em que ela deitava na minha cadeira e abria a boca para mim, eu tinha uma visão espetacular dos seus peitos em sutiãs rendados, cada mês de uma cor diferente. A visão era maravilhosa e eu já ficava de pau duro só com essa visão.

Como estava sempre sentado, meu tesão e meus desejos ficavam sempre muito bem camuflados, afinal a mãe de Juliana sempre acompanhava os procedimentos e tagarelava sem parar. Qual não foi minha surpresa quando naquela tarde, Juliana entrou no meu consultório sozinha e chupando um pirulito… Hum quando vi aquele pirulito, já imaginei aquela boca no meu pau, lambendo meu cacete com aquela vontade que ela lambia o pirulito… Assim que entrou, fechei a porta com a tranca e em tom de brincadeira disse:Continuar leitura

Brincando com o Estetoscópio

Brincando com o Estetoscópio

Olá, meu nome é Paulo e tenho 32 anos. Sou médico, clínico geral e vou contar uma história muito excitante que aconteceu comigo e uma paciente semanas atrás. Era mais um dia de consultas rotineiras com os pacientes até a hora do almoço.

– Um beijo doce e cuide-se bem! – Eu disse para a mulher que saia da minha sala, onde eu a acompanhei até o batente, com uma prancheta em mãos procurando pelo próximo nome para chamar na lista. Layla é um nome que, particularmente, acho muito atraente e peculiar e foi este que chamei.

Olhava atentamente para a recepção, na esperança de que alguém pudesse se manifestar. Após longos segundos de espera uma mulher se levantou.

Continuar leitura