Meu primo tirou meu cabacinho

Meu primo tirou meu cabacinho

Desde pequena eu e meu primo tinhamos um certo “chega mais”. Vira e mexe pegavam a gente brincando de médico no banheiro ou no salão de festas da casa da minha vó. Aos 14 anos fui morar com minha tia, mãe desse primo. Minha tia era muito rígida e ele por ser 6 anos mais velho que eu, já tinha namorada e uma vida normal de qualquer jovem dessa idade. Sempre que minha tia saía, eu ia junto com ela, nunca nada que pudesse sequer lembrar os fatos ocorridos na nossa infancia.

Continuar leitura

Perdendo a Virgindade com o Irmão

Perdendo a Virgindade com o Irmão

O pai de Kaio se casou com a minhã mãe. E todas as férias Kaio vinha pra cá, mas desde que a mãe dele adoeceu, ele não veio mais. Fazia quatro anos que eu não o via mais. Até que a mãe dele faleceu de câncer. Seu pai, meu padrasto, convidou ele para morar com a gente, e para a minha surpresa ele aceitou. Ele tinha 21 anos. Eu estava vindo da escola com um amigo que me deixou em casa de moto. Quando fui me aproximando da casa eu vi aquele moço lindo sentado nas escadas da porta. Me encarando.

— Oi, Danne!

— Kaio?

— Oi, garota, você cresceu, hein?

— Você também.

Ele me deu um beijo na testa e sorriu plenamente. Continuar leitura

Meu Primo Safado

Meu Primo Safado

Desde pequena eu e meu primo tínhamos um certo chega mais. Vira e mexe pegavam a gente brincando de médico no banheiro ou no salão de festas da casa da minha vó. Aos quatorze anos fui morar com minha tia, mãe desse primo. Minha tia era muito rígida e ele por ser 6 anos mais velho que eu, já tinha namorada e uma vida normal de qualquer jovem dessa idade. Sempre que minha tia saía, eu ia junto com ela, nunca acontecia nada que pudesse sequer lembrar os fatos ocorridos na nossa infancia.

Certo dia fiquei de castigo e meu primo chegou mais cedo, pois teve um desentendimento com a namorada. Minha prima mais nova estava com minha tia e a mais velha estava com o namorado na casa dele. Era sexta-feira e nesse dia passava, num certo canal, filmes eróticos a partir das 22h. Eu estava no quarto e por lá fingi que fiquei. Meu primo na sala começou a assistir e ia aumentando o volume. Curiosa, fui na espreita ver o que ele estava fazendo e aquilo me deu um tesão incrível. Corri no quarto e fingi estar saindo do quarto para ir até a cozinha. Acendo a luz e ele abaixa o som vindo da sala, então perguntei se ele quer água. Ele, claro, aceita. Que bom! Continuar leitura

Professor de Biologia

Professor de Biologia

Tudo começou quando eu estava fazendo cursinho pré-vestibular. Tinha 18 anos. Professores novos e dentre os dez que tinha, um me chamou a atenção. Julio é o nome dele, professor de biologia. Ele era alto, forte, moreno, tinha um charme juntamente com um sorriso maravilhoso que me lembrava um ex namorado que eu tive uns três anos antes. Por isso me apaixonei logo de cara. Ele tinha trinta e um anos, era divorciado e com dois filhos pequenos. Era super simpático e tratava todos os alunos com atenção e carinho. Eu odiava biologia, mas depois que o Julio cruzou meu caminho, mudei totalmente meus conceitos com a matéria. O tempo foi passando e ele despertando cada vez mais uma paixão em mim. Até que tomei uma decisão totalmente inesperada:

— Professor, como é a faculdade de biologia? Tem que dissecar cadáver?

— É muito boa e interessante. Lá você entende tudo o que acontece com você, dentro de você e ao redor de você. E, bem, quanto ao cadáver, depende muito da instituição de ensino. Por exemplo, onde eu fiz minha graduação não foi necessário.Continuar leitura

A Ninfeta e o Dentista

A Ninfeta e o Dentista

Este já era o quinto mês que Juliana vinha ao meu consultório dentário após as aulas para apertar seu aparelho. Juliana era alta e tinha os cabelos longos, negros e lisos, era uma morena linda! Novinha, mas com os peitos mais lindos que já tinha visto: durinhos e empinados, bem fartos e sempre bem exibidos por baixo de sua blusa escolar de botão. Como eu sei que eram fartos? Isso é fácil… Todas as vezes em que ela deitava na minha cadeira e abria a boca para mim, eu tinha uma visão espetacular dos seus peitos em sutiãs rendados, cada mês de uma cor diferente. A visão era maravilhosa e eu já ficava de pau duro só com essa visão.

Como estava sempre sentado, meu tesão e meus desejos ficavam sempre muito bem camuflados, afinal a mãe de Juliana sempre acompanhava os procedimentos e tagarelava sem parar. Qual não foi minha surpresa quando naquela tarde, Juliana entrou no meu consultório sozinha e chupando um pirulito… Hum quando vi aquele pirulito, já imaginei aquela boca no meu pau, lambendo meu cacete com aquela vontade que ela lambia o pirulito… Assim que entrou, fechei a porta com a tranca e em tom de brincadeira disse:Continuar leitura

Os Amigos do meu Marido

Os Amigos do Meu Marido

Sempre tive um baita tesão pelos amigos do meu marido. Uns caras tão gostosos, sacanas e bem interessantes. Tinha um deles, o Marcelo, que era bem interessado em mim também. Vivia com papo furado e desculpa para me ligar ou falar comigo. Um dia precisei ir entregar um documento em seu apartamento. Fiquei super excitada já no caminho. Aquele cara era bem disputado por mulheres, daqueles que traem, pisam na bola, mas o charme e seu pau fazem com que não fique nunca sem mulher correndo atrás. Quando cheguei e ele abriu a porta, vi que estava super cheiroso e tinha acabado de tomar banho, estava com a toalha enrolada na cintura com seu peito musculoso de fora. Fiquei super molhada imediatamente. Achei que ia dar na cara o quanto estava excitada, pois os bicos de meus seios ficaram duros, aparecendo na minha blusa branca e justa.

Vi que ele não tirava o olho dos meus peitos, fiquei sem graça e comecei a me arrepender de ter ido lá, não ia prestar. E se ele contasse para o meu marido? “Isso só dependia do quanto eu faria um bom serviço”. Como desculpa de usar o computador fomos direto para seu escritório. Ligou o computador, mas sem se vestir, não aguentava mais aquele homem nu ao meu lado, vi que seu pau estava ficando grande por baixo daquela toalha felpuda. Me mostrou alguns trabalhos no computador e sem querer esbarrou em mim, acabando por me encoxar sobre o computador. Não aguentei, me virei e agarrei aquele homem que estava com um pau enorme me chamando. Me beijou com tanto gosto que parecia que queria me engolir. Segurei suas mãos que procuravam avidamente por minha buceta. Desci, agarrei seu pau e enfiei inteiro em minha boca. Nunca engoli um pau tão grande e delicioso quanto aquele. Continuar leitura

A Grávida Deliciosa

A Grávida Deliciosa

Sou Álvaro, e o que vou relatar aconteceu há cerca de um mês. Era uma quarta-feira e eu precisei ir ao banco. Ao chegar, peguei minha senha e sentei no banco de espera. Logo após sentou ao meu lado uma gestante de nome Joelma. Mais ou menos 4 ou 5 meses de gestação. Fui simpático, falei para ela usar o caixa preferencial, mas ela me respondeu que precisava falar com o gerente. Ela era uma morena de 1,65 de altura, cabelos pelos ombros, olhos amendoados, boca pequena, seios médios e bumbum arrebitado, de mais ou menos 25 aninhos.

Com ela sentada do meu lado, fui puxando assunto, falando do bebê e tal. Ela foi correspondendo, sorrindo, brincando, mas tudo com maior respeito, até que perguntei sobre o pai da criança. Vi suas feições mudarem e ganharem um ar de tristeza. A grávida respondeu que ele era um bom marido, mas tinha se afastado depois da gravidez. Foi o que bastou para eu começar a flertar comecei a elogiá-la, falar que ela era uma mulher muito bonita. Ela também foi me elogiando dizendo que adorava cavanhaque.Continuar leitura