Professor de Biologia

Professor de Biologia

Tudo começou quando eu estava fazendo cursinho pré vestibular. Tinha 18 anos. Professores novos e dentre os 10 que tinha, um me chamou a atenção. Julio é o nome dele. Professor de biologia, ele era alto, forte, moreno, tinha um charme juntamente com um sorriso maravilhoso, me lembrava um ex-namorado que eu tive há uns 3 anos atrás. Me apaixonei de cara. Ele tinha 31 anos, divorciado e com dois filhos pequenos. Era super simpático e tratava todos os alunos com atenção e carinho. Eu odiava biologia, mas depois que o Julio cruzou meu caminho, mudei totalmente meus conceitos com a matéria. O tempo foi passando e ele despertando cada vez mais uma paixão em mim. Até que tomei uma decisão totalmente inesperada e durante uma das aulas perguntei:

-Professor, como é a faculdade de biologia? Tem que dissecar cadáver?

-É muito boa e interessante. Lá você entende tudo o que acontece com você, dentro de você e ao redor de você. E bem, depende muito da instituição de ensino. Por exemplo, onde eu fiz minha graduação não foi necessário. Respondeu Julio com o maior profissionalismo possível.

-Que bom,estou querendo biologia.

-Mas você não queria engenharia química?

-Desisti. Biologia me despertou uma paixão maior. Você pode me explicar o processo de mitose? Não peguei bem.

-Claro minha linda,após a aula ficaremos aqui.

E nesses plantões extras de dúvidas e todo o carinho do Julio eu consegui passar para a federal do meu estado para biologia e voltei ao curso para agradecer ele, claro com segundas intenções, enquanto ele dizia:

-Marinaaaa, parabéns! Veio pagar meu chope?

Ele fazia uma brincadeira em que o aluno que passasse para a universidade voltaria lá e pagaria um chope para ele. Aproveitando isso voltei e bem provocante. Estava com um shortinho jeans apertadinho que valorizava meu bumbum,uma regata bem soltinha florida que mostrava bem a marca de biquíni, rasteirinha e óculos de sol. Cabelos pretos,lisos e na altura dos seios. Quando o vi fui logo respondendo:

-Mas é claro que sim professor. Ainda mais para biologia. Vamos ali na pizzaria?

-Vamos, vamos. Vou só entregar essa ata ali na coordenação.

Fomos tomar o chope. Conversamos,rimos,falamos besteiras e até que o que eu mais esperei aconteceu. Ele começou a me olhar diferente e me elogiar,me chamando de linda e de como fiquei bonita bronzeada. Aquilo me deu uma vontade de pular no colo dele e sentir o gosto daquela boca deslizando sobre meu pescoço,descendo pelos meus seios até chegar na boceta. Ele foi se aproximando e me deu um beijo, de arrepiar até onde não tinha pelos. Afastei-me e ele começou a se desculpar dizendo que não conseguiu mais me enxergar como aluna e sim como uma mulher linda que usou ele como inspiração para seguir carreira. Depois disso eu retribui o beijo. O clima esquentou até que ele me propôs que eu fosse para o apartamento dele que era perto dali. Chegando lá,ele voltou a me beijar e entramos no quarto dele. Era tudo bem montado,cama de casal e ar-condicionado. O beijo continuou forte,ele me deitou na cama e levantou minha blusa,beijando minha barriga até chegar nos seios. Tirou meu short e a blusa juntamente com o sutiã. Fiquei só de calcinha ( minúscula e fio dental),ele ficou louco de me ver peladinha e toda bronzeadinha de sol só pra ele. Começou a chupar meus peitos e desceu até a boceta,tirando a calcinha com a boca. Dizia que nunca tinha visto uma bocetinha tão linda como a minha. Chupou loucamente e me fez gozar somente com a língua. Quando ele tirou sua roupa fiquei completamente excitada com aquele cacete enorme, só conseguia pensar em chupar e metendo em mim. Estava com tanta vontade em dar que já pedi pra penetrar. Era um prazer indescritível sentir aquele pau entrando e saindo rapidamente.Gozei mais duas vezes, e ele apenas uma. Transamos em varias posições. Quando terminamos fomos tomar banho juntos e ele me levou em casa de carro. Antes de sair, falei:

-Adorei estudar métodos de reprodução com você professor.

Depois desse episódio saímos mais algumas vezes e acabamos namorando. Hoje estamos casados.

~ ~ ~

História verídica contada pela leitora Bióloga por acaso.

Gostou? Não esqueça de deixar seu comentário. Diga se você gozou ou broxou com este conto!

Professor de Biologia

Professor de Biologia

Tudo começou quando eu estava fazendo cursinho pré-vestibular. Tinha 18 anos. Professores novos e dentre os dez que tinha, um me chamou a atenção. Julio é o nome dele, professor de biologia. Ele era alto, forte, moreno, tinha um charme juntamente com um sorriso maravilhoso que me lembrava um ex namorado que eu tive uns três anos antes. Por isso me apaixonei logo de cara. Ele tinha trinta e um anos, era divorciado e com dois filhos pequenos. Era super simpático e tratava todos os alunos com atenção e carinho. Eu odiava biologia, mas depois que o Julio cruzou meu caminho, mudei totalmente meus conceitos com a matéria. O tempo foi passando e ele despertando cada vez mais uma paixão em mim. Até que tomei uma decisão totalmente inesperada:

— Professor, como é a faculdade de biologia? Tem que dissecar cadáver?

— É muito boa e interessante. Lá você entende tudo o que acontece com você, dentro de você e ao redor de você. E, bem, quanto ao cadáver, depende muito da instituição de ensino. Por exemplo, onde eu fiz minha graduação não foi necessário.Continuar leitura

Meu Professor de Filosofia

Meu Professor de Filosofia

Estava no último ano do ensino médio quando na metade do segundo semestre, entrou um novo professor de Filosofia. No começo, confesso que até me senti atraída por ele, e até ficava molhadinha pensando nele. Um mês antes do ENEM, resolvi dar uma revisada na matéria dele – não que fosse exatamente essa minha intenção. Numa quinta-feira ficamos de janela na ultima aula, então fui na sala dos professores para poder falar com ele. Chegando lá, ele estava sozinho, com um sorriso safado, falei:

— Oi, professor, posso falar com o senhor?

— Claro, Luiza, entre. — Ele me respondeu com outro sorriso, mas não tão safado quanto o meu.

Entrei e já fui ficando toda molhada só por sentir aquele cheiro de maconha que ele tinha. Humanas, né… Falei que queria saber sobre alguns pensadores e suas ideologias. Peguei meu caderno, abaixando-me e arrebitando meu cuzinho. Com o caderno em mãos, fui chegando perto dele e comecei a perguntar as coisas. Conforme ele ia me respondendo, eu ia ficando cada vez mais perto dele. Até que fingi derrubar meu lápis só para encostar meus pequenos seios no braço dele. Ele fingiu não sentir e continuou a me explicar. Conforme o tempo passava, eu sentia mais vontade de chupar aquele pênis. Depois de uns vinte minutos de “aula particular”, eu resolvi ir mais a fundo. Peguei minha garrafinha de água da bolsa, e comecei a tomar, “sem querer” deixei cair um pouco de água na minha blusa. O professor, rindo, falou:Continuar leitura

Aventura com o Professor do Cursinho

Aventuras com o Professor do Cursinho

Meu nome é Ana Julia, tenho 19 anos. Namoro há três anos, e há um ano morando junto. Neste ano comecei a fazer cursinho pré-vestibular em uma das escolas mais renomadas da cidade. Todos os professores são novos, o que jamais imaginaria, mas é legal. Enfim, foi se passando os períodos, e mais professores novinhos e gatinhos foram aparecendo. Tenho um professor de geografia, novo, gato e separado – ou seja, solteiro. Ele é super descolado, brinca, conversa, descontrai mas sempre dando sua aula normal.

Uma bela sexta-feira, eu sempre ia de moto para as aulas, tive que ir de ônibus por estar sem opção, pois minha moto e o carro do meu namorado estavam com problema. O inesperado aconteceu, choveu. Fiquei morrendo de raiva, porque justo aquele dia que ia sair mais cedo. Na hora de ir embora, tive que enfrentar a chuva. Não achei tão ruim assim, pois precisava lavar a alma. Quando eu estava já molhada, virando a esquina da escola, parou do meu lado uma carro preto, abaixou o vidro e disse: “o que aconteceu? Tá de pé hoje? Entra aí, que te dou uma carona”. Adivinha quem era. O gatinho do professor de geografia. Eu, sem pensar duas vezes, entrei no carro, e já entrei me desculpando: “Ai, me desculpa, vou molhar todo o seu carro, pode me deixar ali na avenida pra eu pegar o ônibus. Minha moto quebrou, estou sem carro esses dias”. Não sabia o que fazer, e olhei pra ele, quando percebi ele estava com um ar de riso. Não me aguentei e ri também, não sabia porque, acho que era de nervoso.Continuar leitura

O Professor de Física

madrugada

As aulas finalmente haviam começado. Com elas, professores e colegas novos haviam chegado. Na segunda semana de aula, todos eles já haviam se apresentado e todo mundo já tinha pelo menos um amigo dentro da classe com quem fazer trabalhos e coisas do gênero. Porém a personalidade das pessoas parece nunca mudar. Um estoque de otários e vadias que apenas se renovava a cada ano, em cada colégio.

Meu nome é Melina e é perceptível que eu não sou nada normal. Até aquele momento, felizmente o professor ou professora de física ainda não havia se apresentado. E isso era bom. Porém, numa quarta feira da segunda semana de aula, finalmente tivemos a trágica noticia de que na sexta-feira daquela mesma semana, o maldito (ou maldita) teria a última aula do dia conosco. Foi como esperar pela morte. Sôfrego e impossível evitar.

Continuar leitura